RSS

Gleisi Hoffmann e Camargo Corrêa: o que esperar?

16 jun

Este “post” tem a função de evidenciar uma das teses defendidas pelO Alienista no “post” anterior (Sobre a dança das cadeiras no Governo Dilma). O Alienista escreveu:

“Mas claro que o  fato de não estarem no galinheiro não impede as raposas de exigirem o pagamento da talha por parte  da  ”dona do galinheiro””.

Escreveu também:

“Diferente da classe trabalhadora, a burguesia participa de seus sindicatos, contribui para os seus partidos e associações e até compra os passes dos eleitos. Logo, levam a melhor!”

Por fim, foi dito que o fato da Ministra ser esposa do já conhecido Ministro Paulo Bernardo não é um bom precedente.

Não deu outra! Mesmo sem procurar O Alienista descobriu logo em seguida que a Ministra que vai administrar as obras do PAC recebeu da famosa empreiteira Camargo Corrêa, a pomposa doação de 1 milhão de reais, para a sua campanha ao Senado. Outras construtoras e empresas somaram forças àquela, e juntas, “doaram” quase 8 milhões de reais  à então candidata  (clique aqui para ler) .

Espero que o leitor e a leitora consigam chegar ao mesmo nível de indignação a que chega este Alienista ao constatar que a mesma empreiteira que doou 1 milhão de reais à campanha da  Ministra da Casa Civil e mais 78,1 milhões a outros candidatos e siglas partidárias (clique aqui para ler) a fim de “viabilizar a festa da democracia”, é a mesma empresa que apareceu no noticiário nacional (muito rapidamente) mantendo trabalhadores em condições análogas às de escravidão na Usina de Jirau, em RO (clique aqui para ler).

A mesma empresa que escraviza seus empregados é, por outro lado, agraciada com prêmios de “responsabilidade social”. Isso mesmo, Pasmém! A Camargo Corrêa foi agraciada com o Prêmio Chico Mendes de Responsabilidade Ambiental (clique aqui para ler).

Não nos esqueçamos que se dependesse dos técnicos do Ibama a construção da Usina de Jirau não seria autorizada. Como todos devem se lembrar a Ex-ministra Marina Silva teve grande parte de seu desgaste no Ministério do Meio Ambiente em função da “demora para liberar” o licenciamento das usinas de Jirau e Santo Antonio.

Diante dos dados apresentados acima, O Alienista, no auge de sua loucura, é levado a pensar na hipótese de que a empreiteira que até poucos dias explorava os trabalhadores ao nível da escravidão (será que não mais?) usava o dinheiro produzido pelo trabalho desses infelizes para patrocinar a “festa da democracia” com generosos 79,1 milhões de reais.

Em outras palavras, nossos políticos têm embolsado o trabalho suado dos operários das  empreiteiras sob o título de “doação” de campanha.

E nós, o povo brasileiro, ao invés de remunerarmos decentemente os operários que constroem as obras de infra-estrutura do Estado, permitimos que o governo e as empreiteiras encham suas burras a partir da exploração de mais-valia desses desgraçados.

Além da exploração da mais-valia é preciso lembrar da alta probabilidade de super faturamento que existe quando há relações tão próximas entre quem governa e quem presta serviços ao governo.

Neste sentido, outras pistas vão aparecendo aos nossos olhos. É o caso da matéria publicada hoje na Folha de São Paulo sob o título: Governo quer manter em sigilo orçamentos da copa de 2014 (clique aqui para ler a matéria).

Por que será o sigilo? A quem interessa o sigilo? Por que será que coincidentemente as doações das empreiteiras às campanhas eleitorais bateram record nas eleições de 2010? Será que isso tem a ver com a construção das obras da copa, das olimpíadas e de infra-estrutura que estão previstas?

Para finalizar, deixo em aberto um dilema que foi surgindo enquanto escrevia esse post:

1- Qual a melhor analogia pra se fazer neste caso? é uma situação em que o jogador teve o passe comprado, conforme propunha O Alienista? Ou será um caso de revezamento das raposas na tarefa de cuidar do galinheiro?

Em outras palavras: a nova Ministra da Casa Civil, tendo recebido 1 milhão de uma empreiteira e mais 7 milhões de outros “gentis doadores” teria condições de agir com imparcialidade nos processos que envolvem aqueles que a ajudaram a chegar ao poder?

Finalmente, será que O Alienista, no auge de sua loucura, não consegue perceber “que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”?

Este Estado de Direito burguês me faz rir (pra não chorar)!

P.S. Fico “louco” pra saber se entre as empresas que contrataram “consultoria” do ex-ministro Palocci está a Camargo Corrêa. Alguém pode ajudar?

Fiquem com Caetano. Eu prefiro a versão do Capital Inicial, mas…

Resposta da Presidente em relação ao “sigilo” no valor das obras da copa

Levando em conta que pretendemos ser diferentes do PIG, publicamos abaixo a argumentação da Presidente Dilma e publicada, com opinião no Blog Conversa Afiada.

A publicação responde a todas as questões que fizemos neste post com relação à projeto de lei para a licitação das obras da Copa. As perguntas eram: “Por que será o sigilo? A quem interessa o sigilo? Por que será que coincidentemente as doações das empreiteiras às campanhas eleitorais bateram record nas eleições de 2010? Será que isso tem a ver com a construção das obras da copa, das olimpíadas e de infra-estrutura que estão previstas?”.

Eis a resposta:

Dilma não quer cartel. O PiG quer melar a Copa

O sigilo dos preços para as obras da Copa do Mundo Fifa 2014 tem por objetivo evitar a combinação de preços e assegurar que os empreendimentos tenham o menor custo possível. A informação foi dada pela presidenta Dilma Roussef, nesta sexta-feira (17/6), em Ribeirão Preto (SP), após cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2011/2012. A presidenta Dilma afirmou que os critérios foram estabelecidos em acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU). Na entrevista, Dilma Roussef sugeriu que os jornalistas “investiguem direitinho”. (clique aqui para continuar lendo).

Como não conheço o texto do projeto, prefiro deixar ao leitor(a) o julgamento.

Quanto às demais perguntas colocadas no “post”, continuam em aberto.

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 16 de junho de 2011 em Uncategorized

 

Tags: , ,

2 Respostas para “Gleisi Hoffmann e Camargo Corrêa: o que esperar?

  1. Débora Fernandes de Paiva

    19 de junho de 2011 at 22:37

    Quando estava em votação o Código Florestal fiz um post com algumas considerações sobre o jogo político na base governista (http://deborafpaiva.wordpress.com/2011/05/17/101/), mas não havia pensado nesta possibilidade da troca de favores com as empresas privadas da forma como apresentou. Isso é realmente uma decepção e preocupante, até que ponto isso chegará?

    Um abraço.

     
    • givaldoalves

      20 de junho de 2011 at 14:53

      Pois é Débora, fico temeroso em relação ao que esperar, mas de qualquer modo, publiquei no final do post a justificativa da presidente e que acabam respondendo às perguntas que fiz em relação ao sigilo no valor da obras. Os argumentos parecem ser bem convincentes. Não fosse o patrocínio das empreiteiras eu me convenceria com facilidade.

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: